Agência de design propõe construção de casas com impressão 3D

Atualmente, o número de pessoas que moram na rua no estado de Nova York é de 60 mil, sendo que crianças representam 25 mil desse total. Para atender esse público considerado muito alto para um estado, uma agência de design especializada em inovação e que possui sede em Nova York, lançou uma nova proposta que poderia aproveitar os espaços urbanos para construir habitações.

A agência Framlab, elaborou uma ideia de reaproveitamento de espaços diferente das que já foram lançadas no mercado mundial. A ideia da agência é criar micro-habitações que seriam instaladas em paredes vazias que já existem na cidade. Cada micro-habitação seria agrupada em cima da outra, construídas em formato de mosaicos hexagonais, as chamadas colmeias serviriam de andaimes fixos para a instalação de outras micro-habitações superiores.

Além dessa vantagem de uma instalação simples, as casas colmeias poderiam ser construídas rapidamente através de uma impressora 3D. A agência explicou que por elas proporcionarem bastante flexibilidade em relação aos materiais, as casas ainda seriam baratas, pois podem ser construídas com material bioreciclável.

Em relação ao tamanho planejado pela agência, uma parede em um formato de 15×21 metros, proporciona a instalação de 95 casas no formato de colmeia. Se dispostas lado a lado, as casas ainda podem servir como gigantes outdoors durante a noite, o que poderá oferecer uma grande vantagem para as publicidades da cidade ou ainda para as intervenções artísticas.

Embora o tamanho das moradias não seja o suficiente para uma família grande, as casas em formato de colmeia proporcionam bastante flexibilidade para quem vive sozinho, e principalmente, não possui um lar decente. Dentro de cada casa, o morador pode adaptar o ambiente e até mesmo aumentá-lo, através de uma simples expansão de área. Por ser um material de baixo custo, a micro-habitação pode ser acessada facilmente por quem vive na rua e precisa de um lar. Além disso, as casas foram planejadas para que cada morador se sinta livre para instalar novos cômodos e novas tecnologias.

Para que os planos saiam de vez do papel, a ideia da agência precisa primeiramente de uma aprovação dos órgãos públicos de Nova York, e posteriormente de mão de obra para construir as colmeias.