StartOut Brasil irá desenvolver o comércio exterior junto a pequenas empresa

No dias 24 de novembro de 2017, o governo em parceria com empresas privadas lançou o programa StartOut Brasil, com o objetivo de promover micro e pequenas empresas startups brasileiras a fecharem acordos bilaterais e oferecerem serviços e produtos aos mercados externos. Em dezembro deste ano o programa passou a realizar missões empresariais em Paris.

Outras missões empresariais promovidas pelo programa, estão previstas para o mês de maio de 2018 em Berlim. No mês de julho de 2018 será a vez de Miami e no final do ano que vem, em novembro, Lisboa será mais uma das rota do programa. O programa é representado pelos ministérios da Indústria, Comércio Exterior e Serviços; Relações Exteriores; pela Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações; pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores e o Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas.

O processo de licitação das empresas deve escolher 15 empresas para cada iniciativa desenvolvida pelo programa. As empresas escolhidas poderão contar com consultoria voltada para o plano de negócios destas micro e pequenas empresas, visando as incubadoras e aceleradoras locais. Isso irá permitir que investidores locais possam apoiar uma definição de estratégias para atingir o mercado internacional.

De acordo com Marcos Vinicius de Souza, são muitos os critérios que levam a escolha de uma empresa, estando entre eles, a capacidade que esta empresa tem de interagir com os projetos de interesse mútuo, seu diferencial de inovação e a maturidade com que se apresenta diante do mercado. Marcos é secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e afirma: “Muitas empresas têm tecnologia, mas falta experiência para negociar”.

Segundo Marcos, em 2018, mesmo após o Brasil ter feito uma retomada diante de sua economia, o apoio as micro e pequenas empresas startups seguiram em frente, em vista de que este projeto será mantido e novos projetos de incentivo de pequenas e médias empresas irão surgir ao longo do tempo. De acordo com Heloisa Menezes, “o programa vai identificar oportunidades, além da capacitação, a mentoria e consultoria especializada e voltadas do acordo com as especificações de cada empresa”. Heloisa é diretora técnica do Sebrae.